HGP - 5º Ano


Correção da 6ª Ficha de Avaliação de História e Geografia de Portugal

Docente: Cidália Teixeira
 

Grupo - Os instrumentos de navegação

2. Das hipóteses apresentadas (A, B, C e D), assinala a correta.

2.1.  
Observa o documento B.
O instrumento astronómico representado na figura é:
 
A) um astrolábio, (pag. 137).
 
2.2.  
Este instrumento náutico permitia:
 
B) calcular a distância ao equador, medindo o ângulo do sol ao meio-dia, (pag. 137).


II Grupo – A conquista de Ceuta


1. Por que motivo era tão importante conquistar Ceuta?

- Ceuta era o centro de importantes rotas comerciais. De lá vinham para a Europa muitas mercadorias apreciadas neste continente como por exemplo: ouro, marfim, escravos e especiarias.

2. Esta conquista foi um fracasso. Porquê

- Porque Ceuta ficou isolada e era constantemente atacada pelos mouros;

- As rotas comerciais foram desviadas para outras cidades;

- Portugal tinha mais despesas do que lucros para a manutenção de Ceuta.


 3.Das hipóteses apresentadas (A, B, C e D), assinala a correta.
 
3.1. 
Ceuta localiza-se:
 
B) no Norte de África. , (pag. 138).
3.2. 
Antes de 1415, Ceuta estava sob o domínio dos:
 
B) Árabes , (pag. 139).
 
3.3. 
Ceuta era uma cidade muito rica porque:
 
D) era o centro de importantes rotas comerciais. , (pag. 139).
 
3.4. 
Em 1415, Ceuta foi conquistada:
 
A) por uma poderosa armada comandada por D. João I , (pag. 139).
 

Grupo III – A expansão portuguesa no Atlântico
 
1. Faz corresponder os elementos da coluna A, aos elementos da coluna B.
A – Arquipélago da Madeira - Gonçalves Zarco
B – Cabo Bojador – Gil Eanes
C – Arquipélago dos Açores – Diogo Silves
D – Fernão Gomes – Rico Mercador de Lisboa
E – D. Henrique – Impulsionador dos Descobrimentos
(Pag. 141)
  1. Das hipóteses apresentadas (A, B, C e D), assinala a correta.

2.1 
. As primeiras descobertas marítimas devem-se, principalmente:
 
A) ao infante D. Henrique, (pag. 141).
 
2.2 
 . As primeiras descobertas foram financiadas:
 
D) pela Ordem de Cristo.
 
2.3 
. O primeiro êxito da expansão portuguesa no Atlântico foi:
 
C) a ocupação das ilhas de Porto Santo e Madeira, (pag. 141).
 
2.4 
. Em 1434, Gil Eanes:
 
A) dobrou o cabo Bojador., (pag. 141).
 
2.5 
. No reinado de D. João II, Bartolomeu Dias, em 1487-88:
 
D) dobrou o Cabo das Tormentas, (pag. 141).
 
2.6 
. Ao serviço dos reis de Espanha, Cristóvão Colombo, em 1492:
 
A) descobriu a América, (pag. 143).
 
 
IV Grupo – A Chegada à India e o Tratado de Tordesilhas
1.Analisa os documentos A e B
1.1.            Qual a origem do nome Cabo das Tormentas?
- A origem do nome Cabo das Tormentas teve origem no sofrimento/tormentas que os marinheiros passavam para o ultrapassar, (pag. 141).
 
1.2.            Por que motivo era tão importante os navegadores portugueses dobrarem este Cabo.
- Era muito importante passar o Cabo das Tormentas, para que fosse possível chegar à India, (pag. 141).
2.1.            Quais os nomes dos dois países que negociaram este tratado?  
- O Tratado de Tordesilhas foi negociado entre Portugal e Espanha, (pag. 143).
 
2.2.            Que decisões foram nele, tomadas?
- No tratado de Tordesilhas, foi acordado que a terra ficaria dividida em duas partes iguais pelo meridiano que passa a 370 Léguas a ocidente da ilha mais ocidental de Cabo Verde , (pag. 143).
 
3.       Das hipóteses apresentadas (A, B, C e D), assinala a correta.
 
3.1 
. De acordo com o Tratado de Tordesilhas:
 
D) as terras a descobrir para oriente do meridiano de Tordesilhas seriam para Portugal , (pag. 141).
3.2 
. Analisa o mapa.
Vasco da Gama descobriu:
 
B) o Caminho Marítimo para a Índia, (pag. 141).
 
3.3 
. Na viagem de ida, a armada de Vasco da Gama:
 
C) fez uma volta muito larga a fim de evitar os ventos contrários, (pag. 145).
 
3.4
. A viagem de Vasco da Gama valeu, sobretudo:
 
B) pela descoberta do caminho marítimo para a Índia, (pag. 145).
 
3.5 
. Lê o seguinte documento:  
Este documento refere-se:
 
D) à chegada de Pedro Álvares Cabral ao Brasil.
 
3.6. 
 Segundo o documento, os indígenas:
 
A) não seguiam nenhuma religião.


Sem comentários: