António Óscar de Fragoso Carmona

António Óscar de Fragoso Carmona (Lisboa, 24 de Novembro de 1869 — Lisboa, 18 de Abril de 1951) foi um político e militar português, filho e neto de militares, e foi o décimo primeiro Presidente da República Portuguesa (primeiro do Estado Novo).
Estudou no Colégio Militar em Lisboa entre 1882 e 1888 e na Escola do Exército entre 1889 e 1892 de onde saiu como oficial de Cavalaria.
Republicano, membro da maçonaria, foi nomeado pelo governo revolucionário republicano, a 15 de Outubro de 1910 membro da Comissão de Reestruturação do Exército.

Foi instrutor da Escola Central de Oficiais (1913-1914); Director da Escola Prática de Cavalaria de Torres Novas (1918-1922); Comandante da IVª Divisão situada em Évora (1922-1925); ministro da Guerra no governo de Ginestal Machado entre 15 de Novembro e 18 de Dezembro de 1923.

Na sequência do golpe militar de 28 de Maio de 1926 foi ministro da guerra entre 9 de Julho e 29 de Novembro, ministro dos negócios estrangeiros, entre 3 de Junho a 6 de Julho de 1926, que acumulou com a de presidente do ministério, cargo que exerceu até 1928. Foi nomeado Presidente da República por decreto em 26 de Novembro de 1926. Eleito em 1928, ainda durante a Ditadura Militar, dando início ao período denominado Ditadura Nacional, e, já na vigência da Constituição de 1933, em 1935, 1942 e 1949, não concluindo o último mandato por ter falecido no decurso do mesmo. Tendo atingido o posto de General em 1922, foi-lhe atribuído o título honorífico de marechal do exército em 1947.
Carmona foi um dos líderes da 28 de Maio 1926, assumindo o poder com o derrube do general Gomes da Costa, como Presidente do Conselho de Ministros (9 de Julho de 1926), sendo nomeado Presidente da República em 26 de Novembro de 1926.

Sem comentários: